Menor pista da Stock Car, Velopark lembra circuitos de rua, diz especialista Átila Abreu

Turismo |
7 de abril de 2016

Temporada 2016 não terá circuito de rua no calendário, mas as características da menor pista da Stock Car guardam semelhanças com traçados urbanos, onde Átila Abreu é especialista; piloto da Shell Racing também é o primeiro vencedor no autódromo gaúcho na atual configuração, de 2.278 metros

A temporada 2016 da Stock Car disputa sua primeira rodada dupla do ano na menor pista da temporada, com 2.278 metros. Pela primeira vez, o calendário não prevê nenhum circuito de rua, mas o especialista neste tipo de traçado, Átila Abreu, da equipe Shell Racing, acredita que a corrida deste final de semana tem características semelhante a de pistas como Ribeirão Preto e Salvador.

“Gosto da pista do Velopark. Venci a primeira corrida neste traçado de 2.278 metros e já larguei dois anos na primeira fila. No ano passado, tive outro grande momento fazendo uma ultrapassagem incrível, passando cinco carros de uma única vez. É uma pista bem manhosa, com trechos rápidos, mas ao mesmo tempo sem retas longas e com curvas lentas. Então é preciso achar o ponto de equilíbrio no carro e sacrificar uma das partes. É bem interessante e gosto bastante, lembra bem as pistas de rua”, diz Átila, que também é considerado um especialista em circuito de rua: tem duas vitórias e duas poles em Ribeirão Preto e uma pole em Salvador.

Outra possível semelhança com as corridas de rua é a ausência de reabastecimento no Velopark. Como os carros não terão as esferas que limitam a capacidade do tanque, é possível que as equipes consigam fazer a prova toda sem a necessidade de pit stop.

“O regulamento particular de prova será divulgado amanhã, mas, se os carros puderem largar com tanque cheio, como normalmente acontece nas rodadas duplas, então não devemos ter pit stop, porque a autonomia é suficiente para as duas provas e o consumo de pneus é baixo no Velopark”, diz Rodolpho Mattheis, chefe da equipe Shell Racing.

A menor extensão da pista gaúcha também proporciona um final de semana ainda mais competitivo. “É a pista mais curta do ano e, por isso, tem o tempo de volta mais rápido. Isso faz com que todos fiquem bem próximos: um décimo de segundo é muito mais importante no Velopark do que em qualquer outra pista. Os tempos na classificação são bem apertados e qualquer detalhe faz diferença”, diz Átila.

Os treinos no Velopark serão iniciados apenas no sábado, a partir das 8h. O classificatório será a partir das 14h ao vivo no Sportv. No domingo, a rodada dupla tem previsão de largada para as 13h, com transmissão do mesmo canal.



Compartilhe esta notícia nas Redes Sociais: