8ª etapa da Copa SP de kart: confira resumo de todas as corridas

Kart |
14 de outubro de 2015

Mais uma vez, o ClickSpeed esteve acompanhando de perto tudo o que rolou no principal campeonato paulista de kart e te conta tudo agora; confira

De volta ao kartódromo Granja Viana em Cotia, a 8ª etapa, ou 3ª etapa do segundo turno da Copa SP de Kart aconteceu em dois dias no segundo fim de semana de outubro. Ao contrário do dia ensolarado com temperaturas elevadas da sexta-feira, os pilotos que disputaram as provas no sábado foram recebidos sob um céu encoberto com muitas nuvens e tempo instável. A pista estava úmida por causa da chuva fina que cairá no começo da manhã, características que traziam dificuldades logo nos boxes. Colocar pneus slick ou para chuva?

 

Era uma incógnita, e para resolvê-la, só entrando no kart e sentindo as características da pista. Quem tomou a melhor decisão? Confira os resultados da 8ª etapa da Copa SP:

 

Executive

 

Uma das primeiras provas do dia, a corrida única da Executive exigiu como sempre muita concentração dos pilotos. Na disputa pela pole position, Cylmar Fortes enfrentou a pista da Granja ainda molhada, mas conseguiu cravar o melhor tempo: 59.264.

 

Porém, na corrida não teve o mesmo desempenho. Com apenas 1 volta completada, Fortes teve que abandonar por problemas no kart. Melhor para Edu Abrantes, que largando na 4ª colocação foi o autor da volta mais rápida e o primeiro a cruzar a linha de chegada com mais de 3 segundos de vantagem para o segundo colocado Fábio Figueiredo.

 

Confira a classificação completa da Executive:

 

 

1 EDU ABRANTES

2 FABIO FIGUEIREDO

3 VICENTE BORGES

4 JORGE BORELLI

5 MUNIR ABOISSA

6 DOMINGOS IORIO

7 PAULO MEYER

8 WELSON JACOMETTI

9 USSAMA FERDINIAN

10 CARLOS CAPPATTO

11 JOSE RAUL

12 CYLMAR FORTES

13 ROBERTO AZANA

 

 

Shifter

 

 

Na Shifter, prova onde correm juntos os pilotos da Graduados, Sênior A e Sênior B, a  diferença de idade entre as categorias  pode chegar a 20 anos. Uma grande heterogeneidade assim na faixa etária garante uma corrida interessante, onde experiência e ousadia andam lado a lado.

 

Nos graduados, Bruno Grigatti e Danilo Dirani travam uma disputa particular ao longo da corrida. Largando na pole, Gritatti não conseguiu a manutenção da ponta e acabou cedendo a primeira colocação para Dirani ao final da prova. Tudo isso não sem muita briga. Quem ganhou no fim foi o público, que assistiu uma corrida forte e limpa nas arquibancadas.

 

Renato Russo, primeiro colocado da Sênior A, sai satisfeito com o seu resultado na 8ª etapa e atribui a vitória ao novo motor: “Foi uma ótima corrida. Por corrermos na mesma prova que os Graduados, consegui ir bem e andar entre os 5 e acabar em 1 pela minha categoria. Isso se deve muito a troca de motor. Estava com um TM e passamos para o Modena. O motor novo ajudou muito hoje. Estamos no caminho certo”.

 

Classificação:

 

1 DANILO DIRANI   (G)

2 BRUNO GRIGATTI (G)

3 GUILHERME SALAS (G)

4 GAETANO DI MAURO (G)

5 RENATO RUSSO (SA)

6 LEONARDO LAMELAS (G)

7 JEAN AGUIAR (G)

8 BRUNNO CUNHA (G)

9 JORGE BORELLI (SA)

10 EDUARDO VIOLANTE (SA)

11 FERNANDO GALERA (SA)

12 FABIANO D’APPOLLONIO (SA)

13 DANIEL MIGLORANCIA (SB)

14 FABIO MENDONÇA (SB)

15 ROGERIO RODRIGUES  (SA)

16 ADRIANO AMARAL (SB)

17 GABRIEL DEBES (G)

 

(G) Graduados
(SA) Sênior A
(SB) Sênior B

 

 

 

IAME TAG

 

 

Categoria com amplo domínio de Fernando Meira. O piloto não deu chance para a concorrência. Conquistada a pole position, Meira largou bem, e sustentando 1º lugar de ponta a ponta, não tomou conhecimento dos demais e venceu as duas provas sempre com quase 3 segundos de diferença para o segundo colocado.

 

Mas isso não significou que as provas da categoria foram monótonas. A disputa logo atrás eram muito bonitas de se ver. Na primeira prova, José Raul e Rodrigo Barbosa ficaram nas posições de 3º e 4º, mas na segunda prova perderam rendimento e aliada a superação das duplas W. Jscometti e A. e C. Fortes perderam os primeiros lugares. Uma troca de posições que só a Iame Tag pode proporcionar.

 

Confira a classificação final das 2 provas:

 

Prova 1

 

1 FERNANDO MEIRA

2 JOSE RAUL

3 RODRIGO BARBOSA

4 W.JACOMETTI / D.LORIO

5 A.FORTES / C.FORTES

 

Prova 2

 

1 FERNANDO MEIRA

2 A.FORTES / C.FORTES

3 W.JACOMETTI / D.LORIO

4 RODRIGO BARBOSA

4 5 JOSE RAUL

 

 

Mirim

 

 

Na Mirim, o dia foi de Enrico Martins. A 8ª etapa parecia reservar um prêmio ao piloto que a muitas etapas anteriores fazia ótimas corridas, mas por detalhes acabava perdendo o primeiro lugar. Porém, tudo isso parece ter ficado para trás. Aliás, tudo e todos ficaram para trás, pois Enrico foi soberano desde a tomada de tempo até a condução das duas provas do dia.

 

Conquistou a pole position com o tempo de 57.855 e liderou a 1ª prova da categoria com propriedade. Vindo logo atrás, Emmo Fittipaldi era uma verdadeira sombra de Martins. Já o pelotão maior da prova era composto por Enzo Bettamio, Lucca Rossi, Pedro Capparelli, Pedro Freitas e Felipe Falk.

 

A corrida se encaminhava para a manutenção das posições quando, faltando 5 voltas para o fim, Heitor Abitante surge como um verdadeiro foguete e da 6ª posição consegue ganhar posições e recebe a bandeirada em 3º, atrás de Fittipaldi e Martins, 2º e 1º, respectivamente.

 

Mas o melhor da categoria estava reservado para a segunda corrida. Após a largada, já era possível determinar quem disputaria posições com quem: Enrico Martins em 1º se defendia de Emmo Fittipaldi na 2ª posição. Heitor Abitante, que havia ultrapassado Fittipaldi na largada perdeu a posição e agora corria lado a lado com Pedro Capparelli em busca do 3º lugar. Mais atrás Enzo Bettamio, Lucca Rossi, Pedro Freitas e Felipe Falk trocavam posições a cada volta em busca de melhores pontuações.

 

A corrida se manteve com esses duelos particulares até que faltando 4 voltas para o fim, as disputas foram se acirrando. Emmo decide atacar o líder Enrico, colando no chassi do kart #117 e o pressionando, mas nada que fosse realmente efetivo, pois Enrico dava uma aula, se defendendo muito bem.

 

Mas era visível que o kart de Fittipaldi estava mais rápido nas retas. Sabendo disso, Emmo abria em todos os trechos de reta para tentar a ultrapassagem. E conseguiu. Na penúltima volta, Fittipaldi consegue finalmente passar Enrico e assumir o primeiro lugar. Mas a conquista dura pouco.

 

Todos os olhares estavam agora direcionados para os karts #1 e #117. Ninguém queria perder o desfecho dessa grande disputa. Enrico não se abalou e mantendo o traçado e sem errar, logo consegue chegar lado a lado de Emmo e ultrapassa-o na curva 4. Agora só era preciso segurar mais uma volta para comemorar a 2ª vitória do dia.

 

Bandeirada para Enrico Martins em 1º e Emmo Fittipaldi em 2º.

 

 

Fora dos karts os dois se cumprimentam e conversam sobre a prova emocionante. Perguntado sobre o momento em que perdeu o 1º lugar para Emmo, Enrico é categórico: “Quando você é ultrapassado, não pode desistir”.

 

Emmo conta como foi a corrida dentro do kart #1: “O Heitor me passou na largada. Meu kart estava rápido nas retas e por isso consegui recuperar. Nas curvas o Enrico estava melhor então só podia passar ele se fosse na reta mesmo”.

 

Realmente, o motor de Enrico apresentava maior consistência nas curvas, que aliado a grande performance do piloto o garantiu o 1º lugar. Prova para nem campeão mundial de Fórmula 1 botar defeito. Após a corrida, Emerson Fittipaldi, pai de Emmo, fez questão de cumprimentar o filho e o campeão “Parabéns pela corrida. Foi muito bonito e foi tudo limpo. Vocês foram ótimos”, elogiou o bicampeão.

 

 

Classificação – prova 1

 

1 ENRICO MARTINS

2 EMMO FITTIPALDI

3 HEITOR ABITANTE

4 PEDRO CAPPARELLI

5 PEDRO FREITAS

6 LUCCA ROSSI

7 FELIPE FALK

8 ENZO BETTAMIO

 

 

Prova 2

 

1 ENRICO MARTINS

2 EMMO FITTIPALDI

3 HEITOR ABITANTE

4 PEDRO CAPPARELLI

5 ENZO BETTAMIO

6 LUCCA ROSSI

7 FELIPE FALK

8 PEDRO FREITAS

 

 

Cadete

 

João Vitor começou bem a 8ª etapa cravando logo a pole position. Começou e terminou bem. Mesmo sendo ameaçado por Pedro Aizza na prova 1, João mostrou tranquilidade e soube conduzir a corrida para receber a bandeirada primeiro que todos os outros.

 

Os demais duelos imperdíveis foram protagonizados por Pedro Braga , Rodrigo Filho e Gabriel Gomez. A disputa entre os 3 era boa e a cada volta havia troca de posições que tinha lugar marcado para acontecer: na primeira curva depois da reta dos boxes. Faltando 5 voltas para o encerramento, Gomez sentiu que era o momento para buscar a ultrapassagem e foi pra cima de Rodrigo, conseguindo subir um lugar mais alto no pódio.

 

Melhor ainda para Gomez na segunda prova do dia. O piloto conseguiu um 2º lugar, só não conseguindo superar o ótimo Rafael Câmara, que depois de não ter conseguido bons desempenhos nas últimas corridas, se reabilitou e voltou a figurar no lugar mais alto do pódio.

 

Classificação das duas provas:

 

Prova 1

 

1 JOÃO VITOR

2 PEDRO AIZZA

3 PEDRO BRAGA

4 GABRIEL GOMEZ

5 RODRIGO FILHO

6 RAFAEL DIAS

7 GABRIEL SANTOS

8 RODRIGO PIONEER

9 JACOPO MANNELLI

10 EDUARDO DUPAS

11DANIEL MURAKAMI

12 MARCELO COSTA

13 ARTHUR SILVA

14 BERNADO GALLO

15 GABRIEL ANDREONI

16 RAFAEL CAMARA

 

Prova 2

 

1 RAFAEL CAMARA

2 GABRIEL GOMEZ

3 PEDRO AIZZA

4 JOÃO VITOR

5 PEDRO BRAGA

6 JACOPO MANNELLI

7 RAFAEL DIAS

8 RODRIGO FILHO

9 GABRIEL SANTOS

10 RODRIGO PIONEER

11 EDUARDO DUPAS

12 BERNADO GALLO

13 ARTHUR SILVA

14 MARCELO COSTA

15 DANIEL MURAKAMI

16 GABRIEL ANDREONI

 

 

Kart Adaptado

 

Os competidores na categoria kart adaptado duelaram com muita lealdade na tarde do último sábado. Fazendo o melhor tempo para a pole position Paulo Galvão estava voando baixo na 8ª etapa.

 

Na corrida, o brasiliense venceu com propriedade cumprindo a prova com quase 9 segundos de vantagem. Não poderia ser diferente, na saída da prova o piloto sorridente contou: “Foi uma boa corrida. Estou bastante satisfeito com o meu desempenho”.

 

Classificação:

 

1 PAULO GALVÃO

2 ANDRES LOPES

3 JOÃO DIAS

4 SERGIO VIDA

 

 

Rotax

 

Rotax Micro Max

 

Sair na pole é um bom negócio? E largar em 5º ou 6º, é ruim? Essas perguntas parecem ter respostas óbvias, mas quando se trata de Rotax Micro Max a história mostra outra coisa. Confira:

 

A categoria começou a disputa da 8ª etapa na sexta-feira. A pole conquistada por Gabriel Gomez não foi suficiente para assegurar a vitória. Saindo da 5ª colocação, Pedro Aizza fez uma grande corrida e com boas ultrapassagens acabou no lugar mais alto do pódio no primeiro dia de prova.

 

Na manhã seguinte foi a vez de Lucca Zucchini cair na frente na largada. Só que mais uma vez o pole não conseguiu confirmar a vitória. Gabriel Gomez, que na corrida passada havia sido o pole, largou dessa vez no 6º lugar e mesmo assim conseguiu a vitória!

 

Pois é, largada é uma coisa, a prova é outra. Na Micro Max tudo pode acontecer. Veja a classificação completa das duas corridas:

 

Prova 1

 

1 PEDRO AIZZA

2 GABRIEL GOMEZ

3 RICARDO GRACIA

4 ENRICO MARTINS

5 THEO MANNA

6 RODRIGO PIONEER

7 LUCCA ZUCCHINI

 

Prova 2

 

1 GABRIEL GOMEZ

2 PEDRO AIZZA

3 RICARDO GRACIA

4 THEO MANNA

5 ENRICO MARTINS

6 RODRIGO PIONEER

7 LUCCA ZUCCHINI

 

Rotax Mini Max

 

 

Na Mini Max, a 8º etapa foi ótima para Matheus Morgatto. O piloto dominou do começo ao fim: pole na 1ª prova e vitória com sobra de 4 segundos para o segundo colocado Gabriel Bortoleto.

 

Na segunda corrida, um pouco mais de dificuldade para Morgatto. Com uma tomada de tempo ruim, o piloto acabou saindo no 7º lugar. Nada que o tenha abalado. Com uma corrida de encher os olhos empolgou o público presente e acabou com a segunda colocação, atrás apenas de João Barcelos.

 

“A primeira [corrida] não foi tão difícil, porque muitos pilotos se envolveram em uma batida e assim consegui abrir. Na 2ª foi um pouco mais complicado, porque sai em 7º. Fui passando um a um a cada volta. Só complicou lá na frente porque peguei pilotos mais experientes, mas tive paciência para conseguir as ultrapassagens”, contou satisfeito Morgatto.

 

Com o 1º lugar na primeira bateria e 2º na 2ª, Matheus foi o piloto que mais somou pontos, e assim, subiu no lugar mais alto do pódio nesta etapa.

 

 

Classificação – prova 1

 

1 MATHEUS MORGATTO

2 GABRIEL BORTOLETO

3 JOÃO BARCELOS

4 FELIPE BARTZ

5 ENRICO DE LUCCA

6 PEDRO HENRIQUE

7 THOMAS KUHNE

8 FRANCISCO PORTO

9 RAFAEL CAMARA

10 FEFO BARRICHELLO

11 LEONARDO REIS

12 NICOLAS GIAFFONE

13 GABRIEL SANTOS

 

Prova 2

 

1 JOÃO BARCELOS

2 MATHEUS MORGATTO

3 FRANCISCO PORTO

4 THOMAS KUHNE

5 RAFAEL CAMARA

6 ENRICO DE LUCCA

7 FELIPE BARTZ

8 FEFO BARRICHELLO

9 PEDRO HENRIQUE

10 NICOLAS GIAFFONE

11 LEONARDO REIS

12 GABRIEL SANTOS

13 GABRIEL BORTOLETO

 

 

Rotax Junior Max

 

 

Na prova 1 da Junior Max, Pedro Adami largará bem, e conduzia a prova sem grandes problemas. Atrás do líder vinha Victor Schoma, Marcel Coletta, Thiago Lopez e Derek Ryan fechando o pelotão da frente.

 

Já na terceira volta, Victor Schoma decide atacar Adami que busca se livrar dos competidores que vem logo atrás, mas depois de ser muito pressionado, acaba cedendo e é ultrapassado.

 

“Eu estava bem no começo da corrida. Mas nas voltas seguintes levei um toque, que me fez espalhar. Tinham muitos pilotos logo atrás que assim que eu espalhei entraram no vácuo e conseguiram me passar”, relembrou Pedro Adami.

 

A partir daí, Pedro passa a perder rendimento. Na 5ª volta cai para 5º lugar, e na 6ª fica na posição que cruzaria a linha de chegada: 6º lugar. Na metade da prova, Marcel Coletta finalmente assume a liderança depois de muito brigar com o pelotão inicial. Mas até Coletta receber a bandeirada foi preciso ainda travar uma disputa com o persistente Victor Schoma que vinha logo atrás. Tanto nas curvas mais fechadas quanto nas retas, os dois pilotos corriam muito próximos. Só nas últimas voltas é que se pode ver Coletta abrir alguma vantagem. Vitória merecida na primeira prova da categoria no dia.

 

Na corrida 2 as coisa foram um pouco mais tranquilas para Coletta. Saindo na pole, o piloto foi bem e faturou a segunda vitória do dia. Isso sem antes passar por algumas emoções: logo na largada recebeu um toque e quase viu sua liderança sendo perdida. Soube administrar, se defendeu bem e manteve o 1º lugar.

 

Logo atrás de Coletta estava Victor Schoma e Caio Collet. Este acaba adotando um estilo de pilotagem agressivo logo nas primeiras voltas, saindo do traçado e tentando ameaçar Schoma. Ainda na 3ª volta, Collet é recompensado pelo modo ousado de guiar e consegue passar Schoma. Victor vai até o fim incomodando Caio para tenta recuperar a posição, mas é em vão.

 

Nas últimas voltas também vimos Derek Ryan perder a 4ª posição para Thiago Lopez, que saindo de um 6º lugar que figurava na maior parte do tempo na prova arrancou no final e deixou Christian Fliter e Pedro Adami para trás.

 

 

Classificação – prova 1

 

1 MARCEL COLETTA

2 GUILHERME PEIXOTO

3 CAIO COLLET

4 VICTOR SCHOMA

5 DEREK RYAN

6 PEDRO ADAMI

7 NICOLAS FLITER

8 GUILHERME PALHARI

9 RAFAEL REIS

10THIAGO LOPEZ

11KAIAN ANDRADE

12JOSE VICTOR

13FELIPE PAPAZISSIS

14HENRI FOREST

15PEDRO BURGUER

16DUDU VICENTINI

17 CHRISTIAN FLITER

 

Prova 2

 

1 MARCEL COLETTA

2 CAIO COLLET

3 VICTOR SCHOMA

4 THIAGO LOPEZ

5 DEREK RYAN

6 CHRISTIAN FLITER

7 PEDRO ADAMI

8 GUILHERME PALHARI

9 GUILHERME PEIXOTO

10 RAFAEL REIS

11 NICOLAS FLITER

12 JOSE VICTOR

13 PEDRO BURGUER

14 KAIAN ANDRADE

15 HENRI FOREST

16 FELIPE PAPAZISSIS
17 DUDU VICENTINI

 

 

 

 

Max e Masters

 

 

Nesta etapa da Copa SP, Max e Masters correram juntos e em dois dias. Começando pontualmente os trabalhos às 16:50 na sexta-feira, João Cunha assinalou o melhor tempo e largou na frente de todos. Pelos Masters, Roberto Azana fez o segundo melhor tempo, mas o melhor para a sua categoria.

 

Na corrida, pouca coisa mudou. Cunha em 1º pela Max e Azana em 1º pela Masters e 3º no geral. Nota para a grande atuação de Azana que ficou a frente de nada menos que 5 pilotos da Max, mostrando muita vitalidade e domínio do kart.

 

Já na segunda prova, realizada no sábado, parecia um replay da corrida do dia anterior. Cunha e Azana poles nas suas respectivas categorias. Mas muita emoção viria por aí.

 

Nas primeiras voltas João Cunha vinha em 1º, João Rosate em 2º, Roberto Azana em 3º, Luca Travaglini em 4º e Fernando Guzzi em 5º. As posições se manteriam as últimas voltas.

 

Assim que subiu a placa “4 voltas” para o fim tomadas de decisões fizeram os pilotos que vinham atrás atacar. Rosete força e consegue passar o então líder João Cunha. Mas o piloto do kart #24 não se dá por vencido e na cola de Rosete consegue reassumir a liderança na volta seguinte, praticamente no mesmo trecho que havia perdido a posição.

 

Mas a disputa estava longe de estar definida. Os torcedores de João só poderiam vibrar mesmo na bandeirada final. Com certeza, uma das disputas mais emocionantes da etapa.

 

“Roseti vinha rápido. Decidi para guardar pneu porque sabia que ele ia forçar no final. Quanto fui ultrapassado tive que ter sangue frio para ir buscar”, relatou Cunha depois de receber o troféu de 1º colocado da categoria Max.

 

Na prova ainda tivemos Fernando Guzzi surpreendendo o pole Azana e ficando com o 1º lugar, deixando o oponente da Masters em 2º.

 

Ainda tivemos mais uma prova dos Max e Masters. Cunha na pole da Max e Azana da Masters. Porém, nenhum deles saiu dessa vez com a vitória. Lucas Sousa foi o responsável por quebrar a hegemonia de Cunha e venceu a 3ª prova da categoria Max na 8ª etapa do campeonato. Fernando Guzzi superou mais uma vez Azana e tratou de garantir a sua segunda vitória do dia.

 

Classificação:

 

Prova 1

 

1 JOÃO CUNHA

2 LUCAS SOUSA

3 ROBERTO AZANA*

4 RODRIGO DANTAS

5 JOÃO ROSATE

6 LUCA TRAVAGLINI

7 WILLIAM FURIA

8 LUIZ FELIPE

9 BRUNO MORAES *

10 ANDREY FORTES

11 FERNANDO GUZZI*

12 BETONINI*

13 LUIZ ANTONIO*

14 MICHAEL PRYOR*

15 CARLOS VERNE *

16 PEDRO SANCHEZ

17 MURILO COLETTA

18 RODRIGO BERNARDES*

 

 

Prova 2

 

1 JOÃO CUNHA

2 JOÃO ROSATE

3 LUCA TRAVAGLINI

4 FERNANDO GUZZI*

5 ROBERTO AZANA*

6 RODRIGO DANTAS

7 MURILO COLETTA

8 BRUNO MORAES *

9 LUIZ FELIPE

10 ANDREY FORTES

11 WILLIAM FURIA

12 PIETRO GUGLIELMI

13 RODRIGO BERNARDES*

14 PEDRO SANCHEZ

15 LUIZ ANTONIO*

16 MICHAEL PRYOR*

17 BETONINI*

18 LUCAS SOUSA

 

Prova 3

 

1 LUCAS SOUSA

2 JOÃO CUNHA

3 FERNANDO GUZZI*

4 LUCA TRAVAGLINI

5 ROBERTO AZANA*

6 BRUNO MORAES  *

7 RODRIGO DANTAS

8 MURILO COLETTA

9 ANDREY FORTES

10 PEDRO SANCHEZ

11 PIETRO GUGLIELMI

12 BETONINI*

13 LUIZ FELIPE

14 RODRIGO BERNARDES

15 LUIZ ANTONIO

16 JOÃO ROSATE

17 WILLIAM FURIA

18 MICHAEL PRYOR

 

*pilotos da Masters

 

 

DD2 e DD2 Masters

 

 

Assim como na Rotax Max e Masters, os pilotos da DD2 e DD2 Masters dividiram o grid. Giulio Borlenghi e Fernando Guzzi foram os poles da DD2 e Máster, respectivamente.

 

Nada que dificultasse muito para o multicampeão Rubens Barrichello, que saindo da 3ª posição só teve o trabalho de se manter longe do também habilidoso Yuri Alves que até metade da corrida seguia Barrichello de perto.

 

Na segunda prova do dia, Barrichello saiu na pole e não viu nenhum kart a sua frente durante toda a corrida. Na 8ª volta, Barrichello já abre grande vantagem sendo muito regular na sua prova. Yuri Alves, sempre buscando diminuir a diferença para Barrichello teve ainda que conviver com as investidas de Borlenghi durante toda a prova, mas soube preservar a posição, terminando em 2º. Fernando Guzzi também se livrou da sombra de Marco Diez e fechou em 1º na Masters (4º no geral) com Diez em 2º (5º no geral).

 

 

DD2 e DD2 Masters – prova 1

 

1 RUBENS BARRICHELLO

2 YURI ALVES

3 GIULIO BORLENGHI

4 MICHEL ABOISSA*

5 MATHEUS COLETTA

6 MARCO DIEZ*

7 MUNIR ABOISSA*

8 CARLO COLLET*

9 RICARDO TOLEDO*

10 ADRIANO FILADORO*

11 FERNANDO GUZZI*

 

DD2 e DD2 Masters – prova 2

 

1 RUBENS BARRICHELLO

2 YURI ALVES

3 GIULIO BORLENGHI

4 FERNANDO GUZZI*

5 MARCO DIEZ*

6 MICHEL ABOISSA*

7 MUNIR ABOISSA*

8 CARLO COLLET*

9 RICARDO TOLEDO*

10 MATHEUS COLETTA

11 ADRIANO FILADORO*

 

*Pilotos da Masters

 

 

Pro 500

 

 

Ao contrário das outras etapas, o grid da Pro 500 na 8ª etapa não era aquele, super extenso com cerca de 30 kart. No sábado, o grid contou com 19 pilotos estavam na pista. A crise econômica chegou para as equipes que já não almejam grandes resultados no campeonato e assim preferiram não por seus pilotos para competir. Isso significou que quem entrava na pista do sábado eram simplesmente os principais concorrentes ao título da temporada e nada menos do que muita briga e show de automobilismo eram esperados nas próxima 1 hora e 20 minutos.

 

E falando em show, a grande revelação da categoria, o jovem piloto Victor Mafra chegou cravando o melhor tempo da Light e o segundo na geral. Quem ficou com a pole foram os pilotos da equipe MV Racing.

 

Carros alinhados, tudo pronto. Era hora da Pro 500!

 

 

Em uma largada sem acidentes, os pilotos procuraram já ganhar posições. Victor Mafra mostrou talento e logo na 3ª volta já assumia o 1º lugar geral, mesmo sendo piloto da categoria Light. Contudo, essa não era a noite de Mafra que com apenas 7 minutos e 25 segundos de pista teve que abandonar a prova com problemas no kart.

 

 

A partir daí, o roteiro indicaria que outro piloto da Light iria se destacar na noite do último sábado. Mas ainda era cedo. Cumpridos os 50 minutos iniciais, os pilotos da equipe Arte 57, da Light, chegaram em 1º na primeira perna da prova. A equipe MV Racing fechou em 2º e a KFF Pro Racing em 3º.

 

Na volta para os 30 minutos finais, a liderança logo caiu para a KFF Pro Racing, com a MV Racing na vice colocação e a equipe de Breno e Peterson Nakamura em 3º. A partir da volta 11, faltando poucos minutos para o fim, os pilotos sentiam que era a hora do tudo ou nada e assim, com muita emoção na pista os competidores começam a ganhar nomes: representando a equipe MV Racing, Caio Collet foi pra cima e conseguiu a ultrapassagem que tanto esperava desde quando assumira o kart #28 do companheiro Luca Travaglini. Estava agora em 1º no geral.

 

Mas a posição estava longe de estar assegurada. Na volta seguinte, a KFF ameaça o jovem Collet, que chega a perder o 1º lugar, mas se recupera. Na volta 15, é a vez de Peterson Nakamura assumir a vice liderança e tentar desbancar o líder.

 

O relógio indicava que em 10 minutos a prova terminaria. Ainda mais emoção, principalmente no pelotão da frente. Collet, Nakamura voam baixo na reta dos boxes e na curva 1 Peterson entra bem e em um momento raro, o pelotão da frente formado por 4 karts, #000, #02, #28 e #45, parelha. Era possível tanto ficar na liderança quanto em um 4º lugar!

 

O que definiria que posição cada um ocuparia seria detalhe. No final Collet conquistou o 1º lugar, Peterson 2º, KFF em 3º e o líder da Light, André Gouvêa o 4º. Gouvêa fazia uma prova impressionante, evoluindo e batendo seu próprio tempo a cada volta. Se a Light perdera Victor Magna nas primeiras voltas, André Gouvêa tratou de ser o protagonista da etapa mostrando que a categoria, apesar do nome, é muito forte e concorrida.

 

“Não treinei durante a semana. Larguei em 7º e o treino mesmo foi durante a prova”, revelou Gouvêa. Mesmo tendo que pegar o jeito do traçado na corrida em si, o piloto apesar de ainda novo é experiente com kart. Corre desde 2000, só largou a modalidade em 2004 para guiar monopostos em competições de Fórmula em 2005 e 2006, mas desde que voltou para o kart mostrou que ainda leva muito jeito e que principalmente se adapta e aprende rápido. Atual líder da categoria, Gouvêa agora tem mais duas provas para segurar a pontuação, para sagrar-se campeão da Light.

 

 

Duas posições a frente, Peterson Nakamura foi recentemente campeão do Indoor. De volta as pistas e ainda mais em uma prova da Pro 500 falou da briga emocionante no final: “Foi uma corrida boa. A briga, todo mundo rápido, tudo isso deixou o final indefinido. Tudo poderia acontecer”. Questionado sobre as 500 Milhas no fim do ano e usar a Pro 500 como teste, Nakamura conta: “Não conseguimos treinar como gostaríamos porque muitas equipes faltaram. Mas nossa equipe é forte, ano passado ficamos em 5º no geral, atrás de Fittipaldi, Rubinho, então está bom. Vamos ver esse ano”.

 

Insuperável em etapas passadas, Kleber Eletric teve mais uma corrida prejudicada “kart não estava bom. Não fazia curvas. O traçado era ótimo, o problema hoje foi o motor muito abaixo do que estamos aconstumados. Johnny entrou para me ajudar, mas poderíamos ter ido melhor”, lamentou o condutor do kart #990 que ficou em 2 na primeira perna e 3º na fase final, cravando assim 2º na somatória de pontos.

 

Mas a dupla mais sorridente do pódio geral era Luca Travaglini e Caio Collet. Travaglini correu a primeira perna e entregou o kart em 1º para Collet, terceiro colocado no Mundial de Kart deste ano. O jovem piloto não fez feio e mesmo com ameaças do experiente Nakamura, soube se defender e garantir a vitória para a sua equipe.

 

 

“No final, mesmo todos estando muito rápidos, ninguém conseguia entrar no vácuo. Foi  bom, no fim deu tudo certo pra gente”, comemorou Caio Collet satisfeito com o troféu na mão.

 

 

Classificação final:

 

28 MV RACING

45 BRENO / PETERSON / MEGA

000 KFF PRO RACING

002 ARTE 57

78 AG COMPETIÇÕES

007 MV RACING

003 MV RACING

071 MV RACING

990 SCUDERIA QG8 / ELETRIC SOUND

058 STOP AÇO

012 KFF PRO RACING

570 ARTE 57

444 BEE RACING

075 BEE RACING

999 SCUDERIA QG8 / ELETRIC SOUND

107 EDI COMPETIÇÕES

057 ARTE 57

008 K.BORLENGHI / MV RACING

001 SCUDERIA/PCR/DOLLY/RR PRESS

 

A 9ª etapa da Copa Sp de Kart está marcada para o dia 31 de outubro. O kartódromo Granja Viana recebe as atividades pela penúltima vez nessa termporada.

 

Texto: ClickSpeed
Foto capa: Jackson de Souza/RF1



Compartilhe esta notícia nas Redes Sociais: