1º Edição do Endurance Brasil tem equipe saindo do 34º lugar para o lugar mais alto do pódio

Kart Amador |
6 de outubro de 2015

Team Xtreme Racing competiu neste sábado e com grande estratégia saiu do pelotão de trás e confirmou a vitória

Se depender da primeira edição da Endurance Brasil, organizada pela AMIKA, a categoria terá vida longa no calendário da Associação. Isso porque a prova realizada neste sábado, 02/10, no kartódromo Internacional Granja Viana, foi realmente de encher os olhos dos kartistas.

A AMIKA já havia promovido provas endurance antes, mas essa foi a primeira de nível nacional, assim como o Campeonato Brasileiro de Kart Indoor, organizado pela própria AMIKA.

Com a duração de 3 horas, o Endurance contou com a participação de nada menos do que 45 equipes, sendo que de acordo com o regulamento cada uma deveria contar com pelo menos 2 pilotos. Isso é, chutando baixo, essa única prova reuniu mais de 100 pilotos em busca do primeiro título.

O grid de largada foi definido por meio de sorteio. Assim, a equipe RS, do piloto Rafael Bassani teve a maior sorte de todas e ficou com a pole. Mas, em uma prova tão longa e por isso muito suscetível a imprevistos, simplesmente tudo poderia acontecer!

E aconteceu.

Os karts atribuídos a cada equipe levava o número respectivo a sua posição de largada. Isso é, os pilotos da Xtreme Racing Team, que saíram com o kart número 34 em um grid de 45, largariam bem atrás. Mas pareceu que não foi um grande problema.

Assim como algumas outras três equipes, a Xtreme Racing adotou a estratégia de dividir os seus pilotos em dois grupos. O kart #17 levava o nome da Xtreme Racing 2 e era guiado pelos pilotos Mauricio Guzzo e Rodrigo Vieira. Já o kart #34, ficou a cargo dos futuros campeões Kleber Barcellos,  Gustavo Zimmermann e Juliano Ballarin, todos respondendo ao boss de equipe Marcos Ascensão.

 

 

Juliano Ballarin foi o encarregado de largar pelos Xtremes. Com um kart muito veloz, e conseguindo grandes ultrapassagens, a equipe decidiu deixar o piloto na pista por mais tempo, alongando a primeira perna da prova. Nessa altura, Ballarin liderava a corrida e só se recolheu aos boxes com mais de 50 minutos de prova por causa do combustível.

Entregou então o posto a Kleber Barcellos, que com corridas rápidas revezava com Gustavo Zimmermann para cumprir, no mínimo, as 5 paradas obrigatórias para troca de kart e piloto, conforme prevista no regulamento oficial da competição.

Foi aí que o trabalho de equipe nos boxes da equipe brilhou. Com muito improviso e tomadas de decisão no calor da prova, Marcos Ascensão, o “Portuga” foi escalando quem entraria em cada momento da corrida de acordo com as condições do kart que seria substituído.

Dentro da pista Gustavo Zimmermann e Kleber Barcellos deram conta do recado e manteriam a ponta com muita autoridade até o fim. Muito também com a ajuda da equipe Xtreme Racing 2. Mauricio Guzzo e Rodrigo Vieira nutriam chances de brigar pela ponta até o fim, mas nos minutos finais de prova a equipe decidiu entrar no jogo de equipes, se sacrificando para proteger os líderes a manter o 1º lugar.

Apesar de a estratégia ter funcionado, o piloto Kleber Barcellos garante que não houve um planejamento prévio, e que tudo é decido na hora de acordo com as condições do momento: “Não foi nada pensado antes como seria. Dependia muito dos karts que a gente pegou. É tudo na hora. Decidimos alongar a primeira perna, porque o primeiro kart estava muito bom. Depois no final da prova, precisamos fazer trocas rápidas pra fazer todas as trocas obrigatórias”, explica Barcellos.

Depois de três horas, trinta e três segundos e trezentos e oitenta e seis milésimos de prova e seis trocas de pilotos, Barcellos levava o kart da Xtreme Racing para cruzar a linha de chegada. Mas sem comemorações. O placar eletrônico do kartódromo indicava que a equipe finalizara em 4º.

“Foi engraçado. Aparecia no painel que estávamos em quarto. Eu passava nos boxes balançando a cabeça, por não termos ganhado, mas não estava entendendo nada, porque nas nossas contas era para sermos campeões. Quanto terminou a corrida vi que as três primeiras equipes não tinham feito todas as paradas. Só depois quando acabou a corrida que soube que éramos campeões”, relembra Barcellos.

A Team Xtreme Racing deixa assim, seu nome e de seus integrantes na história da competição como a primeira equipe a vencer o 1º Endurance Brasil!

Errata: a foto da capa e a que encerra está material são de autoria do fotógrafo Wellington Silva. As demais imagens tem o crédito dos organizadores, retiradas na fanpage da AMIKA no Facebook.

 

Texto: ClickSpeed
Foto: Reprodução Facebook AMIKA

Foto capa: Wellington Silva/ Kart Amador SP



Compartilhe esta notícia nas Redes Sociais: