Shell Racing mira pódios na abertura da Stock Car em Goiânia

Outros |
30 de março de 2017

Maior categoria do Brasil inicia temporada neste domingo com novo pacote de regras

Os motores V8 da Stock Car voltam a roncar alto a partir desta quinta-feira em Goiânia, para a abertura da temporada 2017. A pista de 3.835 metros é palco de boas recordações para a Shell Racing, incluindo a vitória de Átila Abreu em pista molhada na última passagem da categoria pela cidade em novembro de 2016.

Desde então, o grid da principal categoria brasileira experimentou uma ampla movimentação de pilotos. Inúmeros protagonistas estão em novas organizações, com destaque para a dupla de pilotos da Shell Racing, Átila Abreu e Ricardo Zonta. Eles competem agora no time comandado pelo engenheiro e ex-piloto Thiago Meneghel.

Para o competidor sorocabano, a migração para a TMG significa uma volta para casa. Foi pilotando pelo time localizado em Americana (SP) que Átila obteve seus maiores destaques na Stock Car: estreante do ano em 2008, terceiro colocado na temporada 2012, vice-campeão em 2014 (quando venceu também o troféu das poles position) e autor da melhor ultrapassagem em 2015.

Zonta também já teve a oportunidade de trabalhar com Meneghel. No ano passado, o engenheiro foi estrategista do carro da Shell nas provas de endurance da Porsche Império GT3 Cup, quando o campeão mundial do FIA GT e da World Series compartilhou o carro com o também paranaense Lico Kaesemodel, figurando sempre no pódio.

O regulamento deste ano mantém as rodadas duplas em 10 das 12 jornadas da categoria, mas estabelece duração idêntica (40 minutos mais uma volta) e pit-stop mandatório em ambas as provas. A Corrida do Milhão e a prova final continuam sendo disputadas em bateria única, com a corrida derradeira premiando os pilotos com pontuação em dobro.

O qualificatório também foi alterado. Agora haverá Q1, Q2 e Q3. Na primeira parte, os carros vão para pista em dois grupos, para selecionar os 15 mais rápidos que avançam ao Q2. Estes voltam à pista simultaneamente, para apurar os seis mais velozes. No Q3 as três primeiras filas serão definidas com os pilotos voltando à pista sozinhos, cada um para apenas uma tentativa de cravar sua volta lançada.

Outra novidade visível em todos os carros a partir dos treinos coletivos desta quinta-feira em Goiânia será uma lâmpada no teto dos veículos. Quando os pilotos acionarem o botão de ultrapassagem, uma luz verde aparecerá, favorecendo o entendimento da audiência no autódromo e na TV de que o carro conta com potência adicional naquele momento.

Além dos treinos coletivos de quinta-feira, a programação determina um treino livre na sexta e outro no sábado, antecedendo o quali marcado para 13h. No domingo, as corridas têm largadas marcadas para 13h e 14h10. Os canais Sportv exibem as duas baterias e a tomada de tempo.

 

O que eles pensam:

“A ansiedade para a primeira etapa está bem grande, o que aumenta a adrenalina para a corrida. Estamos de casa nova com a TMG e novamente competindo ao lado do Átila no time. Goiânia é uma pista que eu gosto bastante e estou muito motivado. Minha meta para a temporada é ganhar corridas e chegar ao final do campeonato lutando pelo título. Temos as condições de buscar o objetivo de ficar sempre entre os três”

Ricardo Zonta, piloto do carro #10

 

“Estou muito animado com nosso novo momento na Stock Car. É uma sinergia muito boa com o Zonta e o Meneghel, além de todo o apoio da Shell, a maior patrocinadora do automobilismo brasileiro. Gosto muito de Goiânia, onde já conquistei pole, pódio e minha última vitória na categoria. Acredito que temos tudo para fazer uma boa corrida e começar a temporada com o pé direito, brigando pelas primeiras posições, o que é nosso objetivo para a temporada”

Átila Abreu, piloto do carro #51

 

“Nosso projeto para 2017 nasceu extremamente bem feito e temos plenas condições de buscar os objetivos desde a primeira etapa. Já fomos vice, ganhamos algumas corridas e agora falta mais um degrau –talvez o maior deles–, que é conquistar o título. Lógico que é uma categoria muito competitiva e isso faz o cenário imprevisível. Mas acredito muito no potencial do Átila e do Ricardo para chegarmos ao fim do campeonato na briga pelos títulos. Já conheço o Átila de outras temporadas e ele mostrou muito bem do que é capaz. O Zonta passou muito anos na F1, com a experiência de ter trabalhado com os melhores mecânicos e engenheiros do mundo, nas equipes mais organizadas que existem. Sem dúvida esse repertório vai nos ajudar a crescer muito como escuderia”

Thiago Meneghel, chefe da equipe Shell Racing

Texto: Luís Ferrari

Fotos: José Mário Dias/Shell Racing

 



Compartilhe esta notícia nas Redes Sociais: