FORMULA VEE NAS 100 MILHAS DE PIRACICABA

Fórmula |
29 de julho de 2015

A Formula Vee irá participar nas preliminares das 100 Milhas de
Piracicaba em sua 26ª edição. Os treinos começam na sexta feira, 31
de Julho, e a corrida será às 15:00 no sábado, 01 de Agosto.

A prova é promovida pelo Formula Clube do Brasil, que reúne os pilotos
de Formula Vee, aproveitando o fechamento de Interlagos para as obras.

Os carros são os Najas01 Formula Vees equipados em sua maioria com o
motor VW EA111 refrigerado a água. Esses modernos motores são os
usados pela VW no Fox e no Gol G5 e são usados na versão normal de
fábrica diminuindo o custo por corrida. As únicas alterações são o
escape dimensionado, injeção programável e coletor de admissão
modificado.

O uso desses novos motores permite um ótimo desempenho, um Naja01
Formula Vee atinge mais de 200 km/h no final da reta do Autódromo de
Goiânia. Em Interlagos mais de 190 km/h na freada do S do Senna.

O Naja01 Formula Vee foi concebido pensando-se na otimização custo
versus desempenho. O carro tem um chassis tubular projetado em 2010 que
fez sua primeira corrida em Março de 2011 com sete carros nessa
primeira prova. Pouco mais de um ano depois, a Formula Vee alinhou 29
Najas01 em Interlagos.

Foto: Rodrigo Rosset

Foto: Rodrigo Rosset

O conjunto mecânico é o mesmo dos Fuscas, Brasílias, Kombis e outros
carros da Linha VW a Ar. A suspensão dianteira é bastante robusta e
facilmente trocada em caso de avaria, basta se retirar os 4 parafusos
que a prendem no chassis e colocar outra. O câmbio é o normal de
Fuscas/Kombis sem nenhuma alteração nas relações de marcha e usando
a relacão final do Fusca Itamar. O motor inicialmente foi o VW Type I
refrigerado a Ar, mas apesar desse motor ser permitido, mostra-se caro e
frágil para a aplicação, pois exige preparo cuidadoso e emprego de
peças importadas. Optou-se por uma solução de menor custo com o
emprego de um motor bem mais moderno como o VW EA111, assim diminuindo
ainda mais os custos de operação e aquisição dos carros.

Um Naja01 Formula Vee custa R$ 45 mil em 3 ou 4 vezes e com o motor
EA111, o custo por corrida é gira entre R$ 2 a 4 mil dependendo da
estrutura que o piloto queira. Há pilotos que mantém seus carros e
levam em seus mecânicos de confiança que cuidam de seus carros de rua
apenas para servicos mais pesados como retirada de câmbio e suspensão.
O motor pela sua robustez e por não ser preparado não requer muito
trabalho. A opção pelo uso de motores standard de fábrica permite
durabilidade muito maior e é mais do que suficiente para um carro de
570 kg com o piloto.

A Formula Vee, dentro desse conceito de custo acessível, existe em 14
países: Austrália, África do Sul, Inglaterra, Irlanda, New Zealand,
Angola, Alemanha, Estados Unidos e Brasil, entre outros. O primeiro
Formula Vee foi encomendado pelos americanos a um construtor italiano e
esse primeiro carro estabeleceu os conceitos de aproveitamento das
abundantes peças dos Volkswagens. Alguns pilotos famosos passaram pela
Formula Vee: Emerson Fittipaldi, Jochen Rindt, Niki Lauda, Eddie Cheever e outros
mais.

FVee em Interlagos (Foto: Anderson Xambrzycki)

FVee em Interlagos (Foto: Anderson Xambrzycki)

 

Texto: Divulgação



Compartilhe esta notícia nas Redes Sociais: