Entrevista: Matheus Morgatto supera concorrência internacional e vence etapa do Flórida Winter Tour

Kart |
16 de fevereiro de 2016

Piloto foi o mais rápido em Ocala, EUA e acumula mais uma conquista no currículo

 

Historicamente o Brasil é um tradicional pólo formador de grandes pilotos do automobilismo, um berço respeitado até pelos chefões da poderosa Fórmula 1. Essa ótima reputação mantida pelos brazucas pelo mundo tem atravessado gerações e já dura mais de 50 anos. Hoje, os pequenos pilotos começam ainda mais cedo e investem cada vez mais em preparação, formação e experiência, principalmente internacional.

Com campeonatos mais estruturados, tanto dentro como fora do país, o período de férias escolares é especialmente propício para esses pilotos realizarem um verdadeiro intercâmbio da velocidade.

Um exemplo dessa tendência é o jovem Matheus Morgatto. Foi com apenas 8 anos de idade que ele deu suas primeiras voltas em um kart. “Nós levamos ele para andar de kart indoor e logo na primeira vez que sentou no kart fez o melhor tempo da pista, levamos no dia seguinte e se repetiu. Então demos um kart de aniversário para ele e foi assim que começou”, relembra a mãe Juliana.

Passados 4 anos do primeiro contato com a velocidade, Morgatto hoje vai longe. Mais precisamente para Flórida, EUA. Foi lá que ele passou o mês de janeiro e ainda se encontra em fevereiro. Matheus participa do Florida Winter Tour, torneio de inverno que reúne bons pilotos de todo o lugar do mundo na América.

Competidor na categoria Mini Max, a pouca idade disfarça o histórico vitorioso de Morgatto: Campeão da Copa São Paulo Light, Campeão Paulista SKB, Campeão Copa São Paulo KGV, Terceiro no Brasileiro de Kart, Campeão Festival Brasileiro Rotax Mini Max, Campeão Rok Cup Epcot Challenge (EUA) ganhando a vaga para correr na Itália (Finals Rok Cup).

Ufa. Foi com esse currículo que Matheus chegou aos Estados Unidos com apetite para papar mais títulos. E isso de fato aconteceu.

No último fim de semana, ele foi o grande vencedor da etapa de Ocala, cidade localizada no estado americano da Flórida, no condado de Marion (EUA). O grid com mais de 30 pilotos de diversas nacionalidades não inibiu o piloto brasileiro, que acelerou fundo e superou os principais concorrentes ao título Tyler Maxson e Reece Gold, 2º e 3º, respectivamente.

A partir de agora, Morgatto precisa repetir os bons resultados que vem conquistando para confirmar o título da Florida Winter Tour.

Veja na entrevista* como está sendo essa experiência para o piloto brasileiro em terras estrangeiras:

*entrevista realizada antes da conquista em Ocala.

ClickSpeed: Depois de ter sido campeão na Copa São Paulo de Kart KGV 2015 na categoria Rotax Mini Max, um campeonato com um nível muito elevado, quais eram suas expectativas quando chegou para disputar o Florida Winter Tour?

Matheus Morgatto: Esse é o terceiro ano que participo do Flórida Winter Tour, no ano 2014 fui vice-campeão, mais as expectativas são sempre buscar a vitória nesse campeonato tão importante nos EUA, conhecer mais os adversários e estudar sempre novas estratégias dentro da pista.

CS: Já havia participado de campeonatos em outro país? Teve que passar por uma preparação?

MM: Sim, vários. A preparação é como no Brasil, bastante treino, dedicação, dormir cedo, assistir as corridas de outras categorias para ver onde talvez esteja errando, mais acima de tudo treinar muito.

CS: Qual a diferença que você sentiu ao disputar um torneio internacional?

MM: No início senti bastante com as diferenças das regras, as punições são mais severas. Mais sempre aprendemos com os erros. Tudo é muito válido.

CS: O nível dos pilotos no FWT é similar aos que você esta acostumado? Dentro da pista, você sente alguma diferença no modo dos pilotos guiarem?

MM: Eu acho que o nível do Brasil é melhor, porém por correr em pistas não conhecidas sempre é mais difícil e competitivo. Nos Eua acho que são menos radicais na pilotagem, já na Itália é bem diferente os pilotos são bem mais agressivos.

CS: Como está indo no FWT? Conta um pouco sobre sua performance e como é o modelo do campeonato.

MM: Estou indo bem, estou correndo em 2 categorias.

Na categoria Mini Rok tive alguns problemas no kart e uma punição injusta.

Na Rotax (onde é meu foco) estou participando na categoria Mini Max, onde o kart é um pouco maior que no Brasil e o pneu escorrega bastante, terminei essa primeira etapa em segundo lugar no campeonato (Homestead, FL) e animado para as próximas em Fevereiro (Ocala) e Março (West Palm Beach).

O modelo do campeonato é bem interessante, pois te dá a oportunidade de recuperar os pontos perdidos em determinada etapa e o peso de cada etapa vai aumentando.

 

CS: Além de você, tem o Fefo Barrichello na mesma categoria. Os brasileiros tentam se ajudar em competições assim em que disputam com estrangeiros? Qual sua relação com os pilotos do Brasil?

MM: Eu sou amigos de todos os pilotos brasileiros, mais infelizmente aqui nos EUA ninguém se ajuda, na pista somos todos competidores iguais sem ninguém favorecer ninguém e ainda corremos o risco de algum piloto brasileiro tentar nos prejudicar.

A Florida Winter Tour tem programação ainda para até o fim do mês de fevereiro. Continuaremos torcendo pelo nosso piloto brasileiro e acompanhando seus resultados. Fique ligado no ClickSpeed para saber mais.

Créditos foto de capa: Canadian Karting News



Compartilhe esta notícia nas Redes Sociais: