Entrevista exclusiva – Guilherme Samaia estréia na F3 Brasil e promete: “Vou dar o melhor de mim e tentar minha 1ª vitória na classe principal”

Fórmula |
4 de maio de 2016

Atual campeão da Light, Samaia subiu de categoria este ano e agora enfrenta novos desafios pela temporada 2016  

 

No ano passado, Guilherme Samaia estreava na Fórmula 3 Brasil pela categoria Light. Foi um campeonato avassalador de Samaia que conquistou o título de forma incontestável: 30 pontos de vantagem para o vice-colocado Matheus Muniz.

De volta a competição nacional de monopostos organizada Vicar Promoções Desportivas, Samaia tem que lidar agora com novos adversários, um carro mais aerodinâmico e uma competição maior. Para o piloto, estreante na classe principal, a maior dificuldade será se adaptar a esses novos fatores.

É uma temporada para ganhar experiência, mas porque não brigar pelo título? Depois de sair da 4º lugar e chegar em 2º na sua primeira prova na categoria A da F3 Brasil, Samaia tem, sim, chances de levantar o caneco no fim do ano.

 

 

Confira a entrevista exclusiva do piloto ao ClickSpeed:

 

ClickSpeed: Depois de ser campeão da Light no ano passado, você chegou em alta para o início deste ano, sendo apontado como um forte candidato ao título. Herdando o lugar de Pedro Piquet na categoria principal da Equipe Cesário, como você administra essa expectativa por boas performances suas para a temporada 2016?

Guilherme Samaia: Com muita dedicação, tenho que me manter focado na preparação e tentar aprender ao máximo neste ano. Disputo com vários pilotos veteranos, que obtiveram grandes resultados no ano passado, e preciso buscar minha adaptação ao novo chassi o mais rápido possível para lutar pelo campeonato.

 

CS: Entre o seu companheiro de equipe, o vice-campeão do ano passado, Matheus Iorio e o seu ex-companheiro de equipe e atual vice-líder Pedro Cardoso, quem pode te dar mais trabalho nas pistas este ano?

GS: Por conta da maior experiência com o chassi F309 [na Light o chassi é o F301] e também por ter exatamente o mesmo equipamento que eu, acredito que o Matheus Iorio seja o mais difícil de superar.

 

CS: Correndo apenas duas provas pela classe principal, quais as principais diferenças você já notou em comparação quando era piloto na Light?

GS: A competição é maior, pois a maioria dos pilotos tem experiência na categoria. Por ter mais aerodinâmica, o chassi exige uma força física maior. Além disso, o piloto precisa de mais confiança no equipamento. Portanto, quem está mais habituado com o carro vai se dar melhor.

 

 

 

CS: Você manteve a mesma preparação para iniciar a F3 Brasil este ano ou buscou novas formas de se aprimorar para encarar a categoria principal?

GS: Sim, mantive. Porém, sempre tento melhorar minha preparação.

 

 

CS: Depois de somar 15 pontos na rodada dupla do Velopark e figurar atualmente no 4º lugar da competição, como você avalia a sua estréia na F3 Brasil 2016?

GS: A primeira rodada foi muito boa, nem tanto para o campeonato, mas aprendi muito naquele fim de semana. Fiquei bastante feliz com o 2o lugar já na minha primeira corrida na classe principal, mas um acidente na segunda prova acabou nos deixando para trás na classificação do campeonato.

 

CS: A rodada dupla no Velopark mostrou que a temporada 2016 promete ser muito acirrada. Quais características você aposta que o campeão deste ano deverá ter para levantar o caneco? 

GS: Maturidade, vontade e, claro, um pouco de sorte.

 

 

CS: Na transmissão da corrida pelo Sportv, o narrador e o comentarista elogiaram muito sua pilotagem no Velopark. Porém, na sua batida, que causou o abandono, eles afirmaram que você foi otimista demais em tentar aquela ultrapassagem. Você vê dessa forma?

GS: Vejo, sim, como um erro meu, mas acho que o concorrente fechou a porta. São coisas de corrida, se ele tivesse dado espaço não haveria a batida.

 

CS: O que podemos esperar de Guilherme Samaia em Santa Cruz do Sul, pela 2ª etapa da F3 Brasil?

GS: Um piloto que irá aprender e melhorar a cada volta. Vamos em busca de mais um pódio. Com cabeça, vou dar o melhor de mim e tentar obter minha primeira vitória na classe principal.

 



Compartilhe esta notícia nas Redes Sociais: