Brasil no Dakar 2018: edição histórica de 40 anos do maior rali do mundo começa neste sábado com 7 brasileiros

Rally |
3 de janeiro de 2018

 

São eles: Marcelo Medeiros (Quadriciclos – Yamaha), Jorge Wagenfuhr e Idali Bosse (Carros – Mitsubishi Triton), Reinaldo Varela (foto acima) e Gustavo Gugelmin (UTVs Can-Am) e Zeca Sawaya e Marcelo Haseyama (UTVs Polaris). Sawaya e Haseyama são os únicos brasileiros que ainda não estão no Peru.

Além de ser a 40ª edição do evento, será a 10ª no Continente Sul-Americano. Estão previstas 14 etapas, realizadas em paisagens e ambientes tão inóspitos quanto magníficos.

Além das exuberantes dunas do Peru, o trajeto prevê altitudes elevadas. Durante cinco dias os veículos passarão por terrenos que estarão a mais de 3.000 metros de altitude, com picos que podem alcançar 4.500.

Desafios imensos virão pela frente, que exigirão preparação, conhecimento e perspicácia dos pilotos e navegadores, além de resistência das máquinas.

José Sawaya (dir.) e o navegador Marcelo Haseyama. Foto: Doni Castilho/Vipcomm

Experiência e determinação a favor do Brasil

O piloto Reinaldo Varela vai levar na bagagem vasta experiência para seu sétimo Rally Dakar – participou de provas na África, inclusive. E terá a companhia do navegador Gustavo Gugelmin com um UTV Can-Am Maverick X3.

“Espero que tudo corra bem. O carro foi bem preparado. É uma prova muito difícil. Vamos pegar altitudes de 4.500 metros e isso, para a gente, prejudica muito o desempenho. Espero representar bem o Brasil”, afirma Varela.

Acelerando o UTV Polaris, o piloto Zeca Sawaya fará seu primeiro Rally Dakar. Segundo ele, “foram 20 anos de espera e preparo”. “O sonho está prestes a ser realizado. Depois de 17 Rally dos Sertões, participação no Rally dos Incas e muitos outros, agora é o ápice”, discorre Zeca, que terá ao seu lado o navegador Marcelo Haseyama.

A dupla está entrosada há 5 anos. “Temos acerto muito bom e nos conhecemos bastante. Expectativa é chegar (ao final do rali). O desafio é grande, são três países, 14 etapas, sendo 4.400 quilômetros de etapas cronometradas, com muita duna”, completa Zeca.

Segundo Marcelo Haseyama, a preparação para a prova começou há seis meses, quando ele e Zeca iniciaram o planejamento. O primeiro desafio foi escolher o veículo e a equipe. Vão de Polaris, no time Xtreme Plus, que venceu o Dakar 2017 nos UTVs com Leandro Torres e Lourival Roldan (a dupla não participará da edição de 2018).

“E agora vem a expectativa com a corrida, que é simples: queremos concluir o rali. O objetivo é chegar todos os dias (ao fim de cada etapa) e concluir a prova é um grande desafio”, projeta o navegador Marcelo Haseyama.

Outro representante brasileiro que tem tudo para se destacar na prova é Marcelo Medeiros, na categoria quadriciclos. O maranhense está acostumado a competir na areia, o que ajudará no seu desempenho nas dunas peruanas. Medeiros já escreveu o nome na história do Dakar na primeira participação dele, em 2016, quando chegou a ficar em segundo na classificação geral acumulada.

No ano seguinte, Medeiros venceu uma das etapas na Geral. Mas apesar de impressionar o mundo com o desempenho, o piloto ainda não conseguiu terminar o Dakar.

O grupo de brasileiros fecha com o navegador Idali Bosse e o piloto Jorge Wagenfuhr, que vão acelerar um Mitsubishi Triton entre os carros. Jorge já participou do Dakar em 2016, mas abandonou na terceira etapa devido a problemas mecânicos no carro.

Programação Rally Dakar 2018

Etapa 1 – dia 6 de janeiro: Lima / Pisco (272 km)
Etapa 2 – dia 7 de janeiro: Pisco / Pisco (278 km)
Etapa 3 – dia 8 de janeiro: Pisco / San Juan de Marcona (501 km)
Etapa 4 – dia 9 de janeiro: San Juan de Marcona / San Juan de Marcona (444 km)
Etapa 5 – dia 10 de janeiro: San Juan de Marcona / Arequipa (770 km a 932 km, dependendo do veículo)
Etapa 6 – dia 11 de janeiro: Arequipa / La Paz (758 km)
Descanso – dia 12 de janeiro : La Paz
Etapa 7 – dia 13 de janeiro: La Paz / Uyuni (669 km a 726 km, dependendo do veículo)
Etapa 8 – dia 14 de janeiro: Uyuni / Tupiza (558 km a 584 km, dependendo do veículo)
Etapa 9 – dia 14 de janeiro: Tupiza / Salta (754 km)
Etapa 10 – dia 16 de janeiro Salta / Belén (795 km)
Etapa 11 – dia 17 de janeiro: Belén / Fiambalá / Chilecito (484 km a 746 km, dependendo do veículo)
Etapa 12 – dia 18 de janeiro: Fiambalá / Chilecito / San Juan (722 km a 791 km, dependendo do veículo)
Etapa 13 – dia 19 de janeiro: San Juan / Córdoba (669 km a 904 km, dependendo do veículo)
Etapa 14 – dia 20 de janeiro: Córdoba / Córdoba (284 km)

Acompanhe o Brasil no Dakar 2018 nas redes sociais:

www.facebook.com/brasilnodakar2018
www.instagram.com/brasilnodakar2018



Compartilhe esta notícia nas Redes Sociais: