Atual vice-líder da F3 Brasil, Guilherme Samaia vai em busca da “sorte de Lewis Hamilton” para alcançar líder Iorio

Fórmula |
19 de julho de 2016

Piloto terá 10 corridas para diminuir diferença na pontuação, contando com muito trabalho e a sorte de campeão (Foto: Duda Bairros/Shooters)

A 3ª etapa da Fórmula 3 Brasil foi dos sonhos para o líder. Por conta do mau tempo em Santa Cruz do Sul, a segunda corrida não aconteceu e foi transferida para Cascavel e todas as provas desta atípica rodada tripla foram vencidas pelo piloto da Cesário F3, Iorio. Seu companheiro de equipe, Guilheme Samaia, também tem motivos para comemorar. Depois e etapas sem conseguir finalizar algumas corridas por conta de acidentes ou problemas mecânicos, o paulista cumpriu desta vez todo o cronograma e pulou da quarta para a segunda colocação na tabela de classificação do campeonato, depois de fechar em 5º, 3º e 2º nas baterias do fim de semana.

Contudo, este 2º lugar na corrida final deixou um gosto amargo para Samaia. Liderando a prova, estava defendendo bem a posição das investidas de Iorio, quando passando pelas retas dos boxes, Matheus Muniz que saia dos boxes não reduziu e embolou os ponteiros. Ao final da corrida Iorio afirmou: “Quando o Matheus Muniz saiu dos boxes, eu vi que ele ia atrapalhar nós dois. Só que o Samaia tentou tirar pela direita, e o Muniz ficou no meio da pista, então passei os dois por fora e me dei bem nessa. Acho que se isso não tivesse acontecido seria bem mais difícil de passar, e seria uma corrida bem pegada”.

Com os resultados, Iorio está disparado na liderança e diante disso Samaia, além de trabalhar forte, aspira por dias mais afortunados. Mas se depender do calendário, ele já está dando uma mãozinha. Para um bom paulista, a próxima etapa será na sua casa: Interlagos. Faltando 10 provas (5 etapas) para o fim do campeonato, vencer no templo sagrado do automobismo nacional seria um boa arrancada rumo a superarção dos pontos de Iorio.

Confira agora a versão de Samaia sobre o lance que o tirou a vitória e outras respostas exclusivas para o ClickSpeed:

1) O momento mais marcante e polêmico desta etapa foi quando Matheus Muniz saiu dos boxes e atrapalhou você entrando no meio da disputa com Matheus Iorio. Iorio, por conta de ter mais experiência na categoria soube usa-la e se sair melhor ou houve um erro de Muniz?  Qual a sua visão sobre esse lance?

Guilherme Samaia: Sem dúvida, foi um grande erro de iniciante do Muniz. Ele deveria ter diminuído sua velocidade ao sair dos boxes, quando me viu saindo da curva 1, logo atrás, em alta velocidade. Porém, decidiu acelerar e entrar nas curvas 2 e 3 na minha frente. Fiz a curva 2 já muito colado nele, então coloquei por dentro na curva 3, ele me trancou e perdi a corrida por causa de um retardatário que não prestou atenção ao voltar para a prova. Ele deveria ter desacelerado ao me ver no retrovisor na saída dos boxes ou, já que não fez isso, deveria ter saído do traçado (ido para o lado de fora) nas curvas seguintes. É uma pena, pois o prejuízo é todo meu, mesmo com o erro de outro piloto.

2) Depois de etapas frustrantes sem conseguir finalizar corridas, passar por uma rodada tripla e terminar todas, mesmo sem a vitória, é motivo para comemorar e se animar com o campeonato?

GS: É algo positivo, eu consegui assumir a vice-liderança do campeonato. Agora, o próximo passo é buscar o líder. Uma pena foi a falta de sorte que tivemos nesse fim de semana, que impossibilitou a vitória, mas demonstramos estar bem fortes para brigar pelo título. O que atrapalhou foi a quebra na primeira corrida de Santa Cruz do Sul, já que se não tivesse problema teria pontuado e largado em uma posição melhor na prova que abriu a programação de Cascavel.

3) A etapa de Cascavel te colocou em  2º lugar no campeonato. Por outro lado, Matheus Iorio conseguiu disparar na liderança (37 pontos de vantagem). Na última entrevista você respondeu que para parar seu companheiro de equipe era preciso ‘Simplesmente focar no meu trabalho e fazer o meu melhor. Acredito que consigo virar o ‘jogo’ se a sorte colaborar’. Na atual condição, para superar Iorio, além do trabalho, essa sorte que você citou ganhou ainda mais importância para desbancar o líder? 

GS: Atualmente estou na vice-liderança, mas sim, a sorte conta. Historicamente todo vencedor tem um pouco de sorte, tudo tem que dar certo. Eu, particularmente nesse fim de semana, não tive, mas acredito que estou bem preparado e acho possível diminuir essa diferença. Vou focar bastante no meu trabalho e sei que a sorte virá, como aconteceu, por exemplo, com o Lewis Hamilton neste ano na Fórmula 1. Começou com falta de sorte, mas recuperou e está a apenas um ponto do Rosberg.

4) A vitória na classe principal ainda não veio. Assim como na estreia, você novamente bateu na trava com o 2º lugar. Que detalhe está faltando para vermos Guilherme Samaia no lugar mais alto do pódio?

GS: Aquela sorte de vencedor. Tudo precisa dar certo. Porque acredito que estamos bem competitivos o suficiente para vencer corridas.

5) Agora a próxima etapa para você será “em casa”. É especial para um paulista correr em Interlagos ou é melhor lidar como se fosse uma etapa convencional para não sofrer com a ansiedade?

GS: É uma delícia correr em casa! Além de ser uma das minhas pistas preferidas, estou rodeado de pessoas próximas. Foi lá que conquistei meu título na divisão Light no ano passado e me sinto emocionado em voltar. Acredito que isso me trará muita motivação e força para começar a reduzir a diferença para o líder.

 

 

Agora a Fórmula 3 entre em período de recesso. As equipes planejam realizarem sessões de treinos visando a preparação para a quarta etapa, que acontece em Interlagos, nos dias 10 e 11 de setembro.



Compartilhe esta notícia nas Redes Sociais: